Dúvidas sobre o sexo oral

0 on 07/08/2014

Livre-se das neuras e receba e usufrua ao máximo o sexo oral.

Cinema sem pipoca? Goiabada sem queijo? Praia sem sol? Transa sem sexo oral? Já deu para entender a tese que, ferrenhamente, defendemos. Ainda mais depois de descobrir, numa pesquisa com leitores da revista MEN’S HEALTH, que:

• 51% das mulheres alguma vez se negaram a receber sexo oral
• 38% dos homens acham que o sexo oral feito pela namorada é arroz com feijão
• 9% deles confessaram que o que ela fazia “não dava nem para o gasto”

Fizemos um dossiê para que você se livre das neuras e receba e usufrua ao máximo esse prazer. Bônus: um representante da ala masculina conta tim-tim por tim-tim onde, quando e de que jeito a brincadeira fica mais divertida para eles

RELAXE

Se você acumula neuras a respeito e não consegue aproveitar esse presente que seu parceiro insiste — bom menino! — em lhe dar, é hora de mudar. “Algumas mulheres não se soltam. Isso acontece por questões morais, de higiene e de inseguranças com o próprio corpo”, ressalta Alexandre Saadeh, psiquiatra e psicoterapeuta especialista em sexualidade humana, professor da PUC de São Paulo. “

O tabu tem origem cultural. Ao longo da história, a mulher não podia sentir prazer — sexo era destinado para reprodução”, afirma Laura Müller, psicóloga especializada em sexualidade. Segundo ela, a penetração não tinha outro objetivo que não fosse gerar filhos.

Práticas orais e anais não faziam parte do repertório. “Embora os tempos sejam outros, em muitos indivíduos ainda permanecem resquícios dessa mentalidade.”

Afinal, trata-se de um dos pratos mais saborosos do cardápio — preliminares — e uma boa maneira de apimentar o arroz com feijão diário.

Tanto é verdade que o lesco-lesco em questão é bem-visto pela maioria da população brasileira: de acordo com pesquisa coordenada em 2008 por Carmita Abdo, professora da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (USP) e diretora do Programa de Estudos em Sexualidade (ProSex) do Instituto de Psiquiatria do Hospital das Clínicas de São Paulo, 76,6% dos homens e 64,3% das mulheres admitem praticar sexo oral.

ABAIXO O PRECONCEITO DO SEXO ORAL

Educação repressora, desinformação, preconceito: junte tudo isso e está formado o bloqueio. Mas você sabe onde devem ficar esses grilos, não?

Isso, lá longe, no passado. Em pleno século 21, não existe mais essa bobagem de práticas não permitidas a moças de família. “As variações orais e anais são bem-vindas, desde que a segurança e o prazer estejam garantidos”, diz Carmita Abdo.

Se sua encanação é com a higiene, saiba que a maioria dos homens curte, e muito, o “cheiro de mulher”.

Então a dica é cuidar da assepsia local sem exageros. Afinal, como diz Laura, “vagina tem cheiro de vagina”. Vale lavar com um sabonetinho cheiroso e só. De resto, deixe a natureza falar por si e verá que seu elixir funciona como um afrodisíaco para ele. “

Cheirinho de desinfetante ou perfume forte pode ser bom para o corpo, mas para a região genital é broxante”, afirma Saadeh. Muitos homens mergulham o rosto na área de tão excitados. “Se ele está se divertindo, você vai se preocupar com o quê?”, pergunta Jussania Oliveira, sexóloga e autora de livros sobre o tema. O que não vale: descuido com a higiene ou a presença de algum corrimento forte.

NÃO SE PREOCUPE COM A APARÊNCIA DELA

Homens maduros não se importam com a anatomia da vagina, mas não são poucas as mulheres que acumulam caraminholas por acreditar que a dita-cuja é feia, roxinha ou tem lábios grandes, por exemplo. “Da mesma maneira que existem pênis maiores e menores, com curvatura para esquerda ou direita, há as particularidades de cada vagina.

A preocupação é feminina, eles não se ligam nisso”, diz Jussania. Se o grilo com a anatomia for difícil de vencer, Saadeh aconselha conversar primeiro com um ginecologista de confiança e depois com seu parceiro. “

Homens experientes reconhecem as diferenças femininas.” Quer dizer, os inseguros é que exigem formato-padrão. Acredite: quanto mais segura e à vontade com seu corpo, mais sexy e atraente você parecerá aos olhos dele.

Então, considere a sua vagina como um elemento a mais que deve e merece ser explorado. “Quando você se sente atraído por alguém, deseja o outro por inteiro — e não parte dele”, diz Jussania. Logo, é provável que seu parceiro queira devorá-la por inteiro, inclusive se esbaldando no sexo oral.

Se você se convenceu a incluir a modalidade na sua lista de variáveis sob os lençóis, reflita se não vale submeter-se a uma depilação especial. Embora as opiniões masculinas variem de A a Z no quesito pelos, as depiladas ganharam das peludas com franca vantagem na pesquisa realizada no site da MEN’S HEALTH: 91% contra 9% (509 contra 50 votos). Claro que, se você tem parceiro fixo, pesa a preferência do moço. Saiba também que o fato de manter a região desmatada facilita a prática.

NINGUÉM NASCE SABENDO

Há outra coisa que você deve considerar: nenhum homem nasce com uma medalha no peito louvando suas habilidades no assunto. Você até pode dar sorte e esbarrar com verdadeiros peritos, mas também corre o risco de encontrar alguns desajeitados pelo caminho. A saída é procurar se conhecer — com masturbação — e aceitar que ensinar faz parte do jogo sexual.

Trocando em miúdos, deixar claro para o garotão que não é para morder o clitóris — pois, da mesma forma que ele detesta que você passe os dentes no pênis, o descuido machuca sua vagina. Ela é cheia de terminações nervosas e não é má ideia chupá-la como se fosse um sorvete de casquinha, suavemente.

Puxando o prepúcio para cima, uma área ainda mais sensível ficará exposta — caso não provoque algum tipo de nervosismo ou irritação, o resultado fará você subir pelas paredes. “

Se as carícias forem acompanhadas de toques na região vaginal, as sensações aumentam e é mais fácil para a mulher chegar ao clímax”, diz Laura Müller.

Usar a língua, fazer movimentos circulares, variar o sentido e as manobras, sugar, mamar, acelerar, desacelerar, colocar o dedo na vagina e no ânus, abocanhar todo o genital de uma vez (prepúcio, clitóris e lábios) — tudo isso pode e deve entrar no repertório do cidadão. E, se ele estiver fazendo direitinho o dever de casa, sinalize!

A pesquisa apontou que 86% dos homens (482 votos) amam quando as garotas mostram claramente que eles estão acertando no alvo — gemendo, puxando o cabelo deles ou gritando. Portanto, dirija o moço para os caminhos do seu prazer.

AS TRÊS MELHORES POSIÇÕES PARA RELAXAR GERAL

Cada casal deve buscar seu encaixe. “As mais indicadas são aquelas em que ambos se estimulem, se excitem e tenham prazer. Depende da sincronia, e o divertido é descobrir junto”, sugere Jussania. Para quem é chegado num manual, no entanto, descrevemos abaixo três que parecem campeãs. “Algumas posturas realmente facilitam a atividade e, além disso, disponibilizam o acesso a determinadas áreas enquanto a língua faz seu trabalho”, diz Saadeh. E não se preocupe com o tempo que ele vai passar se dedicando apenas ao seu prazer.

Na pesquisa com os leitores da MEN’S HEALTH, 73% disseram que é trabalhoso fazer uma garota atingir o orgasmo, mas que adoram vê-la se contorcendo; 20% juraram que é muito fácil; apenas 7% reclamaram que é difícil — quase tanto como acertar na Mega-Sena. Bem, se eles não têm pressa, por que você teria?

Então, chega de conversa e mãos à obra:

1. Ele deitado e você sentada, de joelhos Nessa posição, ele fica deitado, bem confortável, e você de joelhos quase sentada sobre o rosto dele, oferecendo toda a região genital.

O bacana aqui é que deixa livre acesso para manipulação vaginal e anal – o que multiplica seu prazer! Para ficar à vontade e não se desequilibrar, você pode apoiar as mãos no espaldar da cama ou na parede.

2. Você deitada na beirada da cama, ele sentado ou ajoelhado em uma almofada no chão Aqui você permanece deitada de pernas abertas, permitindo ao gato desfrutar da paisagem e, claro, trabalhar com a língua no clitóris e adjacências. Tomara que as mãos dele, livres como estão, alcancem bumbum, coxas, barriga, seios…

3. Ele deitado e você de quatro sobre ele (quase 69) O grande tesão é que você fica livre para direcionar as partes do corpo em que deseja ser tocada — ele está parado, mas você movimenta seu corpo para a frente e para trás.

Num momento, por exemplo, encaminha a parte genital para o nariz e a boca do mocinho, depois traz os seios… E tudo isso enquanto as mãos dele estão livres para acariciá-la à vontade. O quase 69 é porque você também pode querer abocanhá-lo em agradecimento — e duvidamos que ele reclame…

  • Liked by
Responder
Ver mais respostas